07 janeiro 2008

Ana

Quando me olhas com esse teu olhar de quem se entrega incondicionalmente nos braços da paixão, do amor e da eternidade; quando o cheiro da tua pele me domina, acaricia e conduz; quando olho a profundidade azul, infinita dos teus olhos e revejo frame a frame cada segundo das nossas vidas; quando os nossos corpos se abandonam no encaixe mais perfeito que consigo imaginar; quando nos amamos até ao nascer do sol interrompendo o tempo mortal sem qualquer espécie de regras, receios ou preconceitos; quando nos entregamos totalmente um ao outro: reencontro-me sempre, seguro, na certeza da incondicionalidade imortal do meu amor por ti... Amo-te Ana!

Apesar dos altos e baixos da vida, quero que saibas que, és a mulher da minha vida! Todas as razões do meu amor, são alimentadas a cada dia por ti, pelo teu amor, e pela certeza de que estas eternidades somente se encontram uma vez na vida...

Desculpa-me se, por instantes me esqueci de me relembrar...

1 comentário:

Lyra disse...

És, indubitavelmente, o homem desta minha vida e de todas as outras passadas e futuras!!!
Amar-te-ei-sempre!